Nossa História

A Associação dos Amigos da APA (Área de Proteção Ambiental) de Campinas – APAVIVA é constituída em 2010 pelos moradores do Distrito de Sousas, com o objetivo de preservar e proteger o maior fragmento de Mata Atlântica do Município, a Mata Ribeirão Cachoeira (MRC), em uma Unidade de Conservação e Refugio da Vida Silvestre. Como estratégia, a APAVIVA ingressa com um projeto de cogestão à Fundação Florestal do Estado de São Paulo, apoiado pelo Ministério Público de Campinas.

Em 2012 o município constroi o Caderno de Subsidios do REFUGIO DA VIDA SILVESTRE MATA RIBEIRÃO CACHOEIRA, para a criação da Unidade de

Conservação de proteção Integral, dando continuidade ao projeto da APAVIVA.

O trabalho de preservação e proteção do Ribeirão Cachoeira, já vinha ocorrendo por uma Comissão de Meio Ambiente criada pela Associação Loteamento Colinas do Atibaia, embrião da ONG APAVIVA, fazendo controle de acesso à mata (é permitido apenas a pesquisadores), assim com a realização de aceiros florestais e Brigadas de Incêndios. Uma das motivações que levou sua idealizadora, Angela Podolsky  a constituir a APAVIVA foram as pesquisas científicas que comprovaram a riqueza da biodiversidade, do fragmento florestal e microclima, além da diversidade de flora, com espécies endêmicas e na lista de risco de extinção.

Como atuamos

  • Produção de conteúdo ambiental despertar a conciencia do cidadão comum, Campanhas e ações culturais exclusivas da biodiversidade da Mata Ribeirão Cachoeira, através de documentários, peças publicitárias: como cartazes, folders, painéis como o objetivo de educar a população;
  • Conectar a Mata Núcleo aos outros fragmentos de Mata Atlântica, promovendo adesão dos proprietários rurais aos Programas de Restaurações Florestais.
  • Atuação nos Conselhos ambientais do Município de Campinas, como o Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMDEMA) e o Conselho Gestor da APA (CONGEAPA), no cumprimento das leis ambientais, especialmente da Lei 10.850/2001.
  • Participar de políticas públicas para a Unidade de Conservação (UC) da APA de Campinas.
  • Desenvolvimento, fiscalização do Plano de Manejo da APA de Campinas.
  • Estabelecer a parceria com a Fundação José Pedro de Oliveira, compartilhando as demandas com a Mata Santa Genebra.
  • Buscar apoio de órgãos públicos e privados para Conservação e Proteção da Mata Ribeirão Cachoeira. Apoiar a pesquisa científica, facilitando e apoiando visitas a mata.
  • Realizar Campanhas de Educação Ambiental e desenvolver projetos com a comunidade local da área envoltória da Mata Ribeirão Cachoeira.
  • Desenvolver ações direcionadas para a viabilidade econômica das atividades rurais, com aspectos sociais e ambientais do território;
  • Fiscalizar e denunciar crimes ambientais;
  • Apoiar todos os projetos de incentivo de conservação, proteção e conservação ambiental;
  • Promover a criação de organizações e/ou articulações de mobilização sócio ambiental;

Trajetória da APAVIVA


Criada a partir da necessidade de desenvolver projetos para a preservação da Área de Proteção Ambiental – APA de Campinas e garantir o cumprimento da Lei 10.850/2001. Assim como, dar apoio técnico-administrativo para o Conselho Gestor da APA de Campinas (CONGEAPA), criado em 2002.

Desde então, a APAVIVA e o CONGEAPA caminham juntos em defesa do Meio Ambiente da cidade de Campinas.

Já em seus momentos iniciais, a APAVIVA lança a Campanha da Criação do Refugio da Vida Silvestre da Mata Ribeirão Cachoeira, reconhecida a relevância da sua biodiversidade, pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e Fundação Florestal?

Este projeto visa a sustentabilidade para o maior e o mais importante fragmento florestal de Mata Atlântica Semidecidual da APA e o mais preservado da Região Metropolitana de Campinas. Esse fragmento é fonte para inúmeras produções científicas das Universidades UNICAMP, UNESP e ESALQ, entre outras.

Situada em sede própria, na área rural do Distrito de Sousas, na Zona de Proteção da Biodiversidade da APA de Campinas, a ONG APAVIVA possui:

  • Sistema implantado de reciclagem de lixo;
  • Produção de alimentos orgânicos;
  • Monitoramento de animais silvestres;
  • Banco de sementes de espécies nativas;
  • Compostagem orgânica;
  • Controle energético mantida pela iniciativa dos associados do Loteamento Colinas do Atibaia.

 

Corredores Ecológicos

A APAVIVA foi responsável pela restauração de importantes corredores ecológicos:

  • SIGAM – Sistema Integrado de Gestão Ambiental;
  • SMA/CBRN – Projeto de Recuperação de Matas Ciliares;
  • Programa Banco de Áreas para Recuperação Florestal da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, que prevê a recuperação de matas ciliares em Áreas de Preservação Permanente (APP).

 

Recuperação da Vegetação Nativa

A APAVIVA em consonância com sociedade brasileira identificou oito pilares necessários para viabilizar a recuperação da vegetação nativa em larga escala e de forma custo-efetiva, durante o processo de consulta pública do Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, instrumento básico da Política Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa.

Esses oito pilares são:

  • Sensibilização e conscientizaçã da emergencia climática, por meio da comunicação;
  • Produção de sementes e mudas, com promoção da cadeia produtiva e fortalecimento do acesso, em quantidade e qualidade;
  • Fomento aos mercados para bens e serviços florestais;
  • Otimização de papeis e responsabilidades de instituições, no âmbito das políticas públicas associadas;
  • Mobilização de recursos em larga escala por meio de mecanismos financeiros inovadores;
  • Expansão da extensão rural pública e privada;
  • Planejamento espacial e monitoramento;
  • Pesquisa e desenvolvimento.