No Plano de Manejo da APA foi criado um zoneamento específico chamado – Área de Recuperação Ambiental (ARA) – são os corredores ecológicos e as áreas de proteção permanente (APPs) da APA de Campinas. Correspondem à  5.600 hectares e representa  25% do território da APA

 

São os corredores ecológicos propostos a fim de conectar os principais fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual de Mata Atlântica da APA de Campinas, com área superior a 45 hectares. São corredores de 100 metros de largura que deverão ser destacados e restaurados, inclui, também, todas as Áreas de Preservação Permanente (APP) inseridas no território da APA. De acordo com o Plano de Manejo da APA, em levantamento de dados secundários, foram registradas nas florestas de FES da UC 410 espécies da fauna terrestre e nativa do Brasil, contemplando os grupos dos anfíbios e répteis (herpetofauna), aves e mamíferos.

A fim de garantir as espécies da fauna e a funcionalidade ecológica dos ecossistemas, os reflorestamentos dos corredores, recupera o ambiente e promove a manutenção das espécies de fauna e flora nativas.

Esta área tem como objetivo principal a recuperação ambiental, sobretudo, por meio da recomposição da vegetação nativa, de modo a promover a manutenção e incremento da conectividade no território da APA de Campinas, contribuindo assim para a conservação de sua biodiversidade. Além disso, a recomposição da vegetação nas APP contribui, também, para a proteção dos recursos hídricos e do ecossistema aquático.

  • Os corredores abrangem uma área de 1.000 hectares
  • Corredores + APPs somam 5.600 hectares

 

A APAVIVA, monitora os animais silvestres e convive pacificamente com eles em seu habitat. Assim como a Mata Núcleo Ribeirão Cahoeira, onde se encontra a sede da organização. Os outros 54 fragmentos da APA são habitat natural de muitas espécies ameaçadas de extinção. O desafio é grande, mas nosso objetivo é fazer a restauração e promover a conservação dos 5.600 hectares previstos com estratégicos no Plano de Manejo para a Manutenção da vida silvestre na APA.

Compartilhe!